segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

A alimentação influencia na libido?

Entenda como a alimentação pode auxiliar no aumento da libido
Não existem comprovações científicas que alimentos são capazes de despertar estímulos sexuais, mas sabemos que inúmeros nutrientes são importantes para auxiliar o desempenho sexual e aumentar a fertilidade. Desta maneira, alguns alimentos são considerados afrodisíacos por apresentarem quantidades destes nutrientes que auxiliam na produção de hormônios sexuais e que podem ter atuação estimulante.
Um dos alimentos mais comentados entre os afrodisíacos é o chocolate. Ele é capaz de liberar uma substância chamada feniletilamina e  aumentar a produção do neurotransmissor serotonina, substâncias responsáveis por melhorarem o humor e provocarem a sensação de prazer e bem-estar. Além disso, o cacau contêm n-aciletanolaminas insaturadas que são capazes de ativar receptores e induzir sensações aumentadas de euforia e sensibilidade. Devemos optar pelos chocolates com maiores concentrações de cacau, como o meio amargo e amargo, para obter os efeitos na melhora no humor, sensação de bem-estar, aumento de energia e, além disso, aproveitar as propriedades antioxidantes de seus flavonóides.

            Inúmeros estudos demonstram a importância do zinco para a espermatogênese (formação de espermatozoides), ovulação e produção de hormônios como a testosterona. As castanhas, amêndoas, sementes de abóbora, leguminosas oferecem quantidades interessantes de zinco.  Alimentos picantes como a pimenta, ativam a circulação e agem como um agente excitante, pois ajudam no relaxamento da vagina e vasodilatação do pênis. Os aspargos contém ácido fólico e nas mulheres são importantes para a fertilidade, porque aumentam a maturação do óvulo e implantação do embrião. Muitas frutas estão associadas com prazer e fertilidade como a romã, banana, abacate, melancia, morango, uva. Entre as especiarias afrodisíacas mais conhecidas estão: noz-moscada, cardamomo, alho, cebola, curry, coentro, canela, cominho, baunilha, alcaçuz.
            O amendoim é um alimento energético de alto valor calórico e contêm vitamina E que participa da produção de hormônios sexuais. No entanto, ele é considerado um alimento altamente alergênico para algumas pessoas e seu consumo deve ser avaliado também em relação à presença de micotoxinas provenientes dos fungos, muitas vezes presentes em alimentos estocados com condições favoráveis de proliferação.
            Pensando em aumento da libido, existem alimentos que atuam de maneira contrária a esse efeito como as frituras e carnes gordurosas, pois dificultam a digestão. O café apesar de possuir ação estimulante, deve ser consumido com moderação. De acordo com os estudos, fumantes têm maiores chances de sofrer com os efeitos negativos nas paredes das artérias dos seus órgãos sexuais, pois ocorre a vasoconstrição diminuindo o fluxo de entrada de sangue no local. O álcool pode até aumentar o desejo, mas a longo prazo pode prejudicar o desempenho sexual.
            Manter um consumo de alimentos ricos em nutrientes com função afrodisíaca, boa hidratação, atividade física regular auxiliam na manutenção da libido também nas fases de mudanças do ciclo hormonal da mulher. Ter uma alimentação equilibrada melhora não somente o desempenho sexual, mas também auxilia na obtenção de uma vida saudável por completo.
Confira as dicas do artigo "The orgasmic Diet"
“Dieta do orgasmo”
LINDBERG, M. The Orgasmic Diet. New York: Crown Publishing Group, 2007.
-Evitar antidepressivos, cigarros, refrigerantes;
- Utilizar fontes de alimentos ricos em ômega-3 (semente de linhaça, semente de chia)
- Consumir 30 gramas de chocolate amargo por dia
- Dieta pobre em carboidratos refinados
- Consumir alimentos afrodisíacos
      

Nenhum comentário:

Postar um comentário